sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Lei do farol baixo completa um mês e PRF registra um número 36% menor de acidentes

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou nesta sexta-feira (12) que aplicou 124.180 multas a motoristas que desrespeitaram a exigência do farol baixo durante o dia em rodovias federais de todo o Brasil, no primeiro mês da nova lei, entre 8 de julho e 8 de agosto.

Os estados com mais flagrantes foram Goiás (14.683), Minas Gerais (12.660) e Paraná (12.976).

O descumprimento da lei é considerado infração média, com 4 pontos na carteira de habilitação e multa de R$ 85,13, que passará para R$ 130,16 em novembro próximo.

Menos acidentes

Segundo o Conselho Nacional de Trânsito (Contran), o farol baixo ajuda os motoristas a identificar outros veículos em direção contrária na via.

No primeiro mês da obrigatoriedade, foram registradas 117 colisões frontais durante o dia em estradas de pista simples - número 36% menor que os 183 acidentes similares no mesmo período do ano passado, de acordo com a PRF.

Nestes acidentes, 39 pessoas morreram e 67 ficaram gravemente feridas, o que representa queda de 56% nos óbitos e 41% nas lesões graves. No ano passado, 88 pessoas morreram e 113 tiveram ferimentos graves em acidentes do mesmo tipo, entre 8 de agosto e 8 de julho.

Os atropelamentos também caíram de 131 para 86, ou seja 34%, considerando apenas os acidentes durante o dia em rodovias federais. Nestes casos, 10 pessoas morreram em 2016, contra 16 em 2015.
Veja abaixo perguntas e respostas sobre a nova lei do farol baixo:

1) Tem que ligar o farol de dia na estrada e na cidade?

A lei só fala em rodovias. Fora das estradas, o farol baixo é exigido para todos os veículos somente à noite e em túneis com iluminação pública -nos que não têm iluminação deve-se usar luz alta. A exceção são as motos, que precisam circular com a luz acesa o tempo todo e em todos os lugares.

2) Qual a diferença entre farol baixo e lanterna?

Lanterna tem a luz mais fraca e não é a correta; o certo é o farol baixo (Foto: Rafael Miotto/ G1)
O farol baixo é o que as pessoas normalmente chamam de farol, até então, usado à noite.
Mais fraca, a lanterna ou luz de posição deve ser acionada em duas situações, segundo o Detran-SP:

- à noite, somente quando o carro estiver parado para embarque ou desembarque de passageiros e carga ou descarga de mercadorias;

- de dia, sob chuva forte, neblina ou cerração (nessas condições também pode ser usado o farol baixo).

Há ainda o farol alto, que só deve ser usado em locais onde não há nenhuma iluminação e, ainda assim, precisa ser desativado quando outro veículo vier no sentido contrário.

3) Vale farol de neblina/milha?

O farol de neblina não é aceito como farol baixo. Ele só deve ser usado quando há neblina, chuva forte ou nuvens de poeira, diz o Código de Trânsito Brasileiro.

A lei que exige o farol baixo de dia nas estradas só abriu exceção para a luz diurna de LED , aquela faixa de lâmpadas que alguns carros mais novos têm. Ela poderá ser usada nas estradas, de dia, em vez do farol baixo. À noite, não.

4) Qual a utilidade de usar farol baixo durante o dia?

Segundo o Contran, "o sistema de iluminação é elemento integrante da segurança ativa dos veículos; as cores e as formas dos veículos modernos contribuem para mascará-los no meio ambiente, dificultando a sua visualização a uma distância efetivamente segura para qualquer ação preventiva, mesmo em condições de boa luminosidade".

5) Em rodovia que corta cidades também precisa ligar o farol?

Sim. O Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) diz que a medida será válida para qualquer tipo de rodovia, incluindo as que passam por trechos urbanos.

Fonte: G1 - Auto Esporte

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Vale considera possibilidade de Samarco voltar a operar no fim de 2017

A Vale já considera a possibilidade de que a Samarco só volte a operar no fim de 2017. A afirmação foi feita hoje pelo diretor de controladoria e relações com investidores da mineradora, Rogério Nogueira, que participou de apresentação de Apimec para analistas e investidores em Belo Horizonte.

A Vale divide o controle da Samarco com a anglo-austra BHP. A empresa teve suas atividades interrompidas em novembro de 2015, quando uma de suas barragens se rompeu na cidade de Mariana (MG).

“Vemos alguns cenários. Há uma perspectiva que ela [Samarco] volte no primeiro semestre do ano que vem ou uma possibilidade que ela volte no fim do ano [2017]. Tudo passa pelo licenciamento”, disse Nogueira.

A Samarco tenta obter uma licença da Secretaria de Meio Ambiente de Minas Gerais para utilizar, em caráter provisório, uma cava de mineração como local para depositar rejeitos de minério de ferro. Em 5 novembro do ano passado, uma de suas barragens que armazenavam esse tipo de rejeito, a de Fundão, se rompeu provocando uma tragédia ambiental e 19 mortes.

Nogueira disse que mais importante do que as discussões técnicas no momento é o diálogo com a sociedade.

“Hoje trabalhamos em diversas frentes, a técnica, mas também a mais social, politica”, afirmou. Na cidade mineira de Mariana, local da tragédia, Nogueira afirmou haver uma demanda pela volta da empresa. “Mas temos a consciência de que, se não houver esse apoio e essa vontade, muito dificilmente a companhia voltará.”

Em Minas Gerais, a emissão de licenças ambientais passa por um parecer da Secretaria de Ambiente que precisa ser aprovado por uma instância formada por promotores públicos, ONGs, acadêmicos e integrantes do setor público.

No início do ano, a direção Samarco considerava que era possível que a empresa estivesse funcionando novamente no último trimestre deste ano. Mas, recentemente, esse cenário passou a ser considerado muito improvável pela empresa.

A Vale anunciou dias atrás que provisionou R$ 3,7 bilhões para honrar investimentos em reparação e remediação dos danos para o caso de a Samarco não conseguir retomar suas atividades.

Fonte: Jornal Valor Econômico



Prefeita de Sericita tem candidatura à reeleição oficializada em convenção partidária


Em Sericita, a convenção que oficializou a candidatura da atual prefeita do município à reeleição, Marilda Eni Coelho Reis, movimentou a cidade e reuniu uma multidão. No evento, também foi apresentado o vice,  Hilo Santana. Nas eleições de 2012, Marilda concorreu sozinha à prefeitura. Já este ano, vai enfrentar uma chapa de oposição. 

A cidade tem um pouco mais de 8 mil habitantes, mas promete um bom debate sobre o futuro da gestão. Marilda sai na frente com o fechamento com as principais alianças políticas na cidade. Sericita tem 6574 eleitores aptos a votar nas eleições de outubro.




quarta-feira, 20 de julho de 2016

Voo fretado por R$ 300 ligará BH a 12 cidades. Manhuaçu fica de fora novamente

A partir da segunda quinzena de agosto, 12 municípios de mineiros passarão a contar com voos fretados para Belo Horizonte. Trata-se da primeira fase do Projeto de Integração Regional de Minas Gerais - Modal Aéreo (Pirma), do governo do Estado. Será empregado aviões monomotores de baixo custo operacional.


A vencedora da licitação pública para operar os voos é a Two Taxi Aéreo, que trabalha com aviões Cessna Grand Caravan 208 B, homologados atualmente pela Anac para o transporte de nove passageiros. Na primeira fase do Pirma, serão 60 voos semanais ligando o interior à capital. Cada voo cobrirá em média 200 km, terá duração de 40 minutos e custará cerca de R$ 300 por passageiro. Em uma segunda etapa do projeto, serão incluídas novas localidades, além do aumento da frequência dos voos.

Novas rotas
Cidades que terão voo fretado para BH:
Curvelo
Diamantina
Divinópolis
Juiz de Fora
Muriaé
Patos de Minas
Ponte Nova
São João del Rei
Teófilo Otoni
Ubá
Varginha
Viçosa

Fonte: Jornal O Tempo

terça-feira, 12 de julho de 2016

Palmas para a tocha, vaias para o 'oba, oba'


Por Sérgio Renato


Toda a revolta contra a morte da onça Juma, após a cerimônia de passagem da tocha olímpica pela Amazônia, em junho, é plenamente justificada, tanto que o próprio comitê organizador dos jogos já admitiu que foi um erro expor o animal a tamanho e desnecessário estresse. Deu no que deu. Justificada também em parte é toda a birra de parte da população contra o evento de um modo geral, em razão da crise no país e, em especial, no estado do Rio. O povo tem razão de chiar, mas há um único problema: o foco do chororô.

Univértix apresenta projeto para construção de Complexo de Saúde em Matipó


A faculdade Univértix anunciou a construção de um Complexo de Saúde em Matipó. O projeto foi apresentado pela instituição à comunidade acadêmica e à população e compreende uma construção horizontalizada atendendo conceitos de inovação, versatilidade e logística. As principais características do Complexo de Saúde da Univértix, segundo a faculdade, serão a qualidade e a humanização do atendimento aos clientes, agilidade nos serviços e estabelecimento de eficientes métodos de controle. Os cursos na área de saúde da instituição como Odontologia, Enfermagem, Farmácia e Psicologia, além do Técnico em Enfermagem, terão a oportunidade de formar profissionais ainda capacitados para o mercado de trabalho.

A localização do empreendimento é estratégica e será construído na entrada da cidade, às margens da Rodovia Osires Linhares Fraga, numa área total cerca 8 mil m². Ao todo serão quatro pavimentos e 184 consultórios para atender diferentes especialidades. O Complexo de Saúde da Univértix compreende, ainda, um estacionamento com 250 vagas.

Segundo a faculdade, o investimento está entre os mais modernos do país. “Trata-se de um grande legado da Univértix para a população da cidade e dos municípios vizinhos. O objetivo é oferecer um atendimento de excelência aos clientes, valorizar o trabalho dos professores e proporcionar um ambiente de trabalho produtivo aos alunos e estagiários. Um sonho compartilhado por muitos. Que trilhou um extenso percurso até começar a ganhar forma, constituir uma identidade e, enfim, chegar à fase de construção”, relata a nota da Univértix.


A Univértix realiza seu vestibular de inverno final de julho. Informações podem ser obtidas pelo telefone para (31) 3873-2199 ou pelo site www.univertix.net

Willian Chaves - com informações da Assessoria da Univértix

quinta-feira, 5 de maio de 2016

Governador sanciona lei que cria a Comarca de Matipó. Caputira e Santa Margarida vão pertencer à nova seção judiciária

Foi sancionado pelo Governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), a Lei Complementar 139/2016 que cria a Comarca de Matipó. O ato foi publicado no Diário Oficial do Estado, Minas Gerais, na edição desta quarta-feira (4/5/16). A norma tramitou na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) por meio do Projeto de Lei Complementar (PLC) 49/16, aprovado pelo Plenário, em 2º turno, no dia 19 de abril. A proposta de inclusão da criação da Comarca de Matipó no texto do projeto de lei foi do deputado estadual João Magalhães (PMDB).

A nova Comarca de Matipó será integrada também pelos municípios de Caputira e Santa Margarida, todos da Zona da Mata. A nova comarca passa a ser desmembrada da de Abre Campo.

Matipó já era responsável por 40% da demanda judicial da Comarca de Abre Campo e o desmembramento era uma reivindicação antiga da população do município. Em 2008, um comissão envolvendo várias pessoas da cidade foi até a Assembleia Legislativa de Minas Gerais apresentar a proposta de criação da Comarca e pedir apoio a deputados da região. No entanto, o projeto não caminhou na Casa.

Ainda não se sabe onde funcionaria o fórum em Matipó. Na proposta de 2008, o prédio da Prefeitura seria reformado e entregue ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais para instalação do fórum.

A instalação da Comarca em Matipó vai movimentar diversos setores da economia, além de ser uma oportunidade de emprego de carreira no judiciário e também para advogados. Outra medida que deve acontecer é o desmembramento do cartório nas competências de ofício notariais e de registro selando mais uma oportunidade de concurso na cidade.

Willian Chaves

terça-feira, 19 de abril de 2016

Criação da Comarca de Matipó é incluída no PLC 49 em discussão na Assembleia Legislativa

Em discussão na Comissão de Administração Pública da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, o substitutivo que inclui a criação da Comarca de Matipó foi incluído no Projeto de Lei Complementar - PLC 49, do Tribunal do Justiça de Minas Gerais, que dispõe sobre a transformação de 10 cargos de juiz de direito em cargos de juízes substitutos de 2º grau. O PLC 49 agora está pronto para votação em 2º turno no plenário da Casa.

Nesta segunda-feira (18/4/16), a Comissão de Administração Pública da Assembleia Legislativa de Minas Gerais aprovou parecer favorável ao PLC, na forma do substitutivo nº 1 ao vencido (texto aprovado em 1º turno com modificações). O substitutivo foi apresentado pelo relator, deputado Gustavo Corrêa (DEM).

O substitutivo aprovado mantém o texto aprovado pelo Plenário em 1º turno, acrescentando apenas a criação da Comarca de Matipó (Zona da Mata), a ser desmembrada da Comarca de Abre Campo (Mata). A Comissão de Administração também opinou pela rejeição de duas propostas de emenda, de autoria do deputado Lafayette de Andrada (PSD). A primeira determina que o provimento do cargo de juiz de direito substituto, quando observado o critério de merecimento, se dará na forma do estabelecido no artigo 98, inciso II, da Constituição do Estado, e na Resolução 106/10, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). O relator, Gustavo Corrêa, argumentou que a regra em discussão não trata de provimento, mas da transformação de cargos já existentes em cargos de juiz substituto.

A outra proposta de emenda de Lafayette de Andrada incluiria o parágrafo 2º ao artigo 11 do substitutivo. Ele determinaria que, ocorrendo a vacância do cargo de desembargador, o Tribunal de Justiça terá o prazo de até 60 dias para informar à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) ou ao Ministério Público (MP) do Estado, quando for o caso, da referida vacância. Gustavo Corrêa recomendou a rejeição por considerar que a legislação já é clara ao estabelecer as regras relativas à vacância, não sendo necessária a modificação proposta.

Com relação à criação da Comarca de Matipó, o líder do Governo, deputado Durval Ângelo (PT), votou favoravelmente, mas ressalvou que o Tribunal de Justiça deve ter o cuidado de, ao criar a comarca, anular a criação da 2ª Vara em Abre Campo. Isso porque, na última vez em que se discutiu a criação dessa comarca, o TJMG foi contra a proposta, recomendando no lugar a criação dessa 2ª Vara. O presidente da Comissão de Administração, deputado João Magalhães (PMDB), afirmou que Matipó já responde hoje por 40% da demanda judicial da Comarca de Abre Campo, o que justificaria a divisão da mesma.

As tentativas de criação da Comarca em Matipó se estendem desde 2008, quando o Blog do Willian Chaves noticiou os primeiros passos na Assembleia Legislativa (Comarca em Matipó pode sair no segundo semestre).

Fonte: ALMG

segunda-feira, 18 de abril de 2016

Homem é morto a tiros em Caputira

A Polícia Militar apura um crime de homicídio em Caputira, registrado na tarde deste sábado, 17/04.
Segundo o registro policial, por volta das 18:30, a vitima Reginaldo da Silva Cruz, “Caião”, 33 anos, foi encontrado morto caído ao lado da moto dele, no trecho do Córrego Crispim, na estrada que liga Caputira a Raul Soares.
A princípio, o cenário dava a entender que teria sido um acidente, porém com a chegada do perito da Polícia Civil foram constatadas sete perfurações de arma de fogo.
Policiais seguem em rastreamento na tentativa de elucidar o crime e identificar a autoria.
Carlos Henrique Cruz - Portal Caparaó

Alô autoridades de Matipó!

Tenho recebido várias mensagens pedindo ajuda sobre a situação do Bairro Boa Vista, em Matipó. Trata-se de moradores que reclamam dos barulhos até altas horas da madrugada.

Alô autoridades! Deem uma atenção especial. Tem muito trabalhador reclamando que não consegue dormir.

terça-feira, 29 de março de 2016

Se a moda pega! Município é condenado a indenizar vítima por queda em buraco


Já citamos em nossas colunas que os serviços públicos também devem seguir as regras do Código de Defesa do Consumidor. Se não bastasse isso, os órgãos públicos ainda respondem por omissão, por não efetuarem as reformas ou por não fiscalizar as obras em andamento. Exatamente como qualquer empresa privada. Apesar de não ser comum, principalmente pela dificuldade do trâmite jurídico, pela demora e pelos valores das indenizações, as ações contra os entes públicos buscando indenizações são possíveis.

Assim tem decidido os nossos tribunais, vejamos: “A 5ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) condenou o município de Belo Horizonte a indenizar em R$ 3.000, por danos morais, a vítima de um acidente em passeio público. C.M. contou, nos autos, que, ao cair em um buraco no passeio da avenida dos Andradas, sofreu fratura do metatarso do pé direito. Em decorrência do acidente, teve que usar bota gessada durante um mês e submeter-se à reabilitação por 15 dias.

Segundo o relato de uma das testemunhas, que estava transitando pela avenida, ela ouviu gritos, aproximou-se do local e constatou que a vítima estava com vários ferimentos e caída dentro de um buraco com grande profundidade e sem sinalização. C.M. não recebeu atendimento médico no local e necessitou de ajuda para se levantar.

Esses fatos motivaram a autora a acionar a Justiça. Em primeira instância, o município foi condenado a indenizar a vítima em R$ 12 mil por danos morais. Inconformado, o município de Belo Horizonte recorreu da decisão, alegando que não agiu de forma omissa e que o boletim de ocorrência é uma prova unilateral a partir de relatos à autoridade policial, não se prestando a demonstrar a veracidade dos fatos. Desse modo, solicitou a reforma da decisão.

O desembargador relator Barros Levenhagen verificou que não havia sinalização de alerta quanto ao buraco no local e que a inexistência das grelhas pode ser considerada como eventual depredação ou furto, e, neste caso, o município também faltou com o dever de fiscalizar e de realizar manutenção. Como a vítima não sofreu sequelas que lhe causassem invalidez ou maiores sofrimentos, o relator alterou o valor inicial da indenização para R$ 3.000, com as devidas correções monetárias e juros.” (Fonte: Ascom TJMG / Jornal O Tempo)

Não é 1° de abril: Contas de luz terão bandeira verde em abril


A partir de 1º de abril, a bandeira tarifária das contas de energia elétrica será a verde e não haverá nenhum acréscimo de valor para os consumidores. A bandeira que vai vigorar no próximo mês foi decidida nesta terça-feira (29) em reunião da diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Segundo a Aneel, a mudança da bandeira tarifária foi decidida diante da simulação dos custos de geração e distribuição de energia elétrica e do superávit acumulado nos últimos meses nas contas do sistema de bandeiras.

Desde que foi implementado o sistema de bandeiras tarifárias em janeiro de 2015, até fevereiro de 2016, a bandeira se manteve vermelha. Em março, passou para amarela. O aumento de chuva neste ano, que melhorou o volume dos reservatórios das hidrelétricas, aliado à redução da demanda e à inclusão de novas usinas no sistema elétrico brasileiro, possibilitou a mudança das bandeiras tarifárias nos últimos meses.

A cor da bandeira indica se a energia custa mais ou menos, em função das condições de geração de eletricidade. “Com as bandeiras, a conta de luz fica mais transparente e o consumidor tem a melhor informação para usar a energia elétrica de forma mais consciente”, informa a Aneel.

De acordo com a agência, a bandeira tarifária não é um custo extra na conta de luz, mas uma forma diferente de cobrar um valor que era incluído na conta de energia, sem acréscimo no reajuste tarifário anual das distribuidoras.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

União, estados e Samarco discutem acordo para assegurar a recuperação da Bacia do Rio Doce

O advogado-geral da União, Luís Inácio Adams (centro) 
comandou a reunião realizada na tarde de hoje em BH
Crédito (foto): Osvaldo Afonso/Imprensa MG
Representantes da Advocacia Geral de Minas Gerais, do Espírito e da União se reuniram com a mineradora em Belo Horizonte nesta terça-feira (19/1)

O governo federal e os estados de Minas Gerais e Espírito Santo instituíram grupos de trabalho para determinar as medidas emergenciais para a revitalização da bacia do Rio Doce, atingida pelo rompimento da Barragem Fundão, da Samarco, em Mariana (MG), em novembro do ano passado. As propostas vão integrar a ação judicial coletiva - entre Estado, União e municípios contra a Samarco e suas controladoras (Vale e BHP) - que assegura a indenização para cada dano social, ambiental e econômico provocado. A decisão foi tomada nesta terça-feira (19/1), em encontro na sede da Advocacia-Geral da União em Belo Horizonte.

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

EDUCAÇÃO: Secretaria cria site de consulta das vagas de designação disponíveis nas escolas estaduais

O período de designação na rede estadual de ensino será realizado entre os dias 25 e 29 de janeiro, mas a partir desta segunda (18/01) os candidatos já podem consultar as vagas em um site criado pela Secretaria de Estado de Educação (SEE). As vagas disponibilizadas por escolas estaduais de todo o Estado podem ser consultadas neste link

Tem promoção na Via Luluti/Hering em Matipó. Corra e aproveite!

IMPERDÍVEL!!!


COMECE O ANO RENOVANDO SEU GUARDA-ROUPA.


APROVEITE OS DESCONTOS, A LOJA TODA EM ATÉ 60%.

VIA LULUTI MATIPÓ - REVENDEDORA HENRING.

Av. João Mendes de Magalhães - Galeria Dona Sinhá.

Tel: (31) 3873-1952.


Mandado de prisão cumprido em Matipó

Duas pessoas foram presas pela Polícia Militar neste final de semana, em Matipó e em Santo Amaro de Minas, distrito de Manhuaçu. Havia mandados de prisão em aberto.
Na primeira ocorrência, os policiais foram até uma boate no km 65 da BR-262, em Matipó.
Houve uma denúncia e equipes foram ao local. Durante a consulta ao sistema informatizado foi constatado Mandado de Prisão Preventiva expedido pela Comarca de Teixeiras/MG.
O rapaz de 22 anos foi conduzido à Delegacia de Polícia Civil.
Já em Santo Amaro de Minas, no sábado, 16/01, a equipe confeccionava uma ocorrência de furto e, ao ser qualificada a testemunha, de 49 anos, o sistema alertou que havia mandado de prisão em aberto em desfavor dele, expedido pela comarca de Ibirité-MG.
Ele também foi encaminhado para a delegacia.
Carlos Henrique Cruz - Portal Caparaó

Fique de olho: Minas só tem 4 deputados com 100% de presença na Câmara


Dos 53 deputados federais de Minas, apenas quatro não faltaram a nenhuma das sessões ordinárias no plenário da Casa desde o início da atual legislatura, em fevereiro do ano passado. Os parlamentares Edson Moreira (PTN), Lincoln Portela (PR), Tenente Lúcio (PSB) e Weliton Prado (PMB) nem sequer precisaram apresentar justificativas e estiveram presentes durante todas as polêmicas discussões e votações na Casa.

Nome do Deputado caratinguense Mauro Lopes, do PMDB de Minas, não une o partido para assumir a Secretaria de Aviação Civil

Diante das dificuldades na bancada peemedebista por um amplo apoio à nomeação do deputado Mauro Lopes (MG) como ministro, o Palácio do Planalto já trabalha com um plano B para a Secretaria de Aviação Civil. Lopes era visto pelo governo como a solução para garantir o apoio da bancada do PMDB de Minas e viabilizar a recondução de Leonardo Picciani (RJ) à liderança do partido, o que reforçaria o time governista na batalha contra o impeachment.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Trabalhadores aprovam proposta de suspensão de contrato de trabalho da Samarco



O acordo de suspensão temporária do contrato de trabalho também foi aprovado nesta sexta-feira, dia 15/1, em votação feita pelos empregados da Samarco, em Minas Gerais. Pela manhã, o acordo já havido sido aprovado pelos empregados da empresa no Espírito Santo.

A medida visa a manutenção dos empregos, ajuda compensatória e benefícios previstos em acordo coletivo. Durante o período, os funcionários farão cursos de qualificação profissional a serem oferecidos pela Samarco.

A participação dos empregados nos cursos garante bolsa de qualificação, que juntamente com a ajuda compensatória paga pela Samarco, tem o objetivo de evitar perda do salário líquido do empregado.

Fonte: Assessoria de Imprensa

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Samarco: empregados retornam ao trabalho

Nesta segunda-feira (11) os empregados da Samarco Mineração retornaram ao trabalho em todas as unidades da mineradora. Os trabalhadores foram recebidos pelos diretores e gestores e participaram de uma cerimônia de acolhida. Os funcionários fizeram ainda um minuto de silêncio pelas vítimas do acidente da Barragem do Fundão. Na ocasião, foi apresentada a proposta de Suspensão do Contrato de Trabalho para Qualificação Profissional, que será votada em Assembleia pelos empregados.